Início / Últimas Notícias / Lei seca: 11 anos depois, situação ainda preocupa

Lei seca: 11 anos depois, situação ainda preocupa

OMS diz que Estado de São Paulo é o que possui maior número de óbitos no trânsito

 

Bafômetro- Foto: André Borges- Agência Brasília

 

 

Campanhas midiáticas e maior rigor no cumprimento da lei contribuíram para que o Brasil reduzisse o número de acidentes no trânsito causados pelo consumo de álcool ao volante, de acordo com o Relatório Global da OMS sobre o Estado de Segurança Viária, do ano de 2018.  A lei seca foi implementada em 2008 e criada pelo deputado federal Hugo Leal (PSC-RJ) com o intuito de impedir e punir quem dirige após beber.

Um estudo promovido pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES), publicado em 2017, indica que entre 2008 e 2016 a Lei Seca teria preservado a vida de quase 41 mil pessoas. Apesar da diminuição da taxa de mortalidade no trânsito brasileiro, a situação ainda é preocupante. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Estado de São Paulo possui o maior número de óbitos no trânsito.

Segundo a “Pesquisa Nacional da Saúde”, feita pelo IBGE em 2013, muitas pessoas ainda bebem antes de dirigir. Cerca de 24,3% dos motoristas afirmam que assumem a direção do veículo após ter consumido bebida alcoólica. Entre os homens, a estatística chega a 21,6%; no público feminino, 6,6%.

De acordo com relatório, o SUS ( Sistema Único de Saúde) atendeu entre 2010 e 2013 mais de  113 mil internações resultantes do consumo de álcool.

Acidente

A rio-pardense Fabiana Monteiro Assunção, auxiliar de cozinha, precisou lidar com um acidente causado por um homem que dirigia alcoolizado.

“Há quatro anos, tive uma colisão. Parei em frente ao posto Magalhães, o farol estava fechado e percebi uma freada. Mas eu não imaginava que fosse colidir com o meu carro. Desci do carro, a pessoa também, e percebi que ele estava embriagado. Chamei a polícia e quando eles chegaram, fizeram o teste e viram que ele estava alcoolizado. Abriram um boletim de ocorrência para averiguar a situação e descobriram que não era a primeira vez que ele havia se envolvido nesse tipo de acidente. Ele perdeu a carta”, conta Fabiana.

Segundo ela, não houve danos físicos pois ela estava parada aguardando a abertura do semáforo, mas o carro teve que ir para a oficina.

Efeitos

O álcool é uma substância psicoativa que pode causar vários efeitos negativos sobre o nosso organismo. Nas primeiras doses, ele age como um estimulante e provoca a sensação de excitação. No entanto, as inibições e capacidade de julgamento são afetadas. As habilidades motoras são alteradas, o que pode aumentar o risco de acidentes no trânsito.

Campanha

Com a finalidade de conscientizar a população e trazer um debate sobre o tema, foi criado um movimento denominado “Não foi acidente”, onde pessoas compartilham histórias nas redes sociais para alertar a população e diminuir o número de tragédias causadas pelo comportamento destrutivo da combinação de álcool e direção.

Confira também

Maior superlua de 2019 acontecerá hoje

Nesta terça-feira (19), teremos a oportunidade de observar a maior superlua do ano de 2019, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *